Votado normalmente como o último projeto do ano, o orçamento do ano seguinte serve para diversos propósitos bastante conhecidos, mas um dos pontos mais importantes deste projeto é a definição do piso salarial durante esse período. Após ser votado no Congresso no mês de dezembro de 2013, ficou decidido que o valor do salário mínimo em 2014 fica fixado em R$ 724. Mas esse valor pode variar, já que o orçamento é votado nas esferas federal, estadual e municipal, e cada um pode definir seu valor.

Valor do Salário Mínimo em São Paulo – SP

O estado de São Paulo, por meio de sua Assembleia Legislativa, votou o seu plano orçamentário para o mesmo período e decidiu por reajustar o valor para R$ 810, o maior do país. Essa disparidade entre o governo paulista e a esfera nacional não vem de hoje: no ano passado, enquanto o salário em âmbito nacional era de R$ 678, o estado mais rico do país estabelecia R$ 765 como o valor de base.

Não é difícil explicar essa diferença entre salários mínimos entre todo o país e São Paulo. Ao buscar explicar esse fenômeno, se costuma acreditar que se recebe melhor nesse estado se comparado com outros. A resposta é “sim e não”. E vamos tratar de explicar o porquê.

Entendendo a diferença de valores

O primeiro ponto de atenção é sobre quanto o trabalhador vai receber de “ganho real”. Esse ganho real é necessário para uma economia crescente. Para consumir mais o indivíduo precisa ter mais acesso de compra, ou seja, renda. O reajuste em São Paulo foi de 7%, mas esse número não é todo composto por ganhos reais. O motivo disso é o segundo ponto de atenção: a inflação.

Já bastante conhecida do povo brasileiro desde a década de 1990, a inflação nada mais é do que a queda do poder de compra, causado pelo aumento dos preços. E São Paulo, por ser historicamente o local com maior abundância de produtos e serviços, está muito mais suscetível a esse fenômeno econômico.  Com isso, a grande de São Paulo, lar de quase um em cada dez brasileiros, tem um dos custos de vida mais altos no planeta.  – e esse padrão  se repete entre as cidades do interior do estado.

O terceiro fator tange ao custo de vida em São Paulo. O salário mínimo de R$ 810 realmente é elevado, mas dados os custos de um cidadão médio (transporte, alimentação, vestuário, lazer, entre outros) se entende que esse dinheiro rende menos em São Paulo do que, por exemplo, em Salvador ou Manaus. Nessas cidades, onde viver é mais barato, realmente um piso salarial como esse traria ganhos reais para o consumo.

Então, explicado o porquê dos reajustes no piso salarial paulista, não se deixe enganar com o valor proposto. Apesar dos 7% de reajuste, não custa lembrar que a inflação em 2013 subiu algo perto de 6%, o que tira praticamente todo o ganho real do novo piso. Mais errado ainda é pensar que todos os residentes ou trabalhadores no estado terão este valor nos próximos vencimentos: apenas  os funcionários do serviço público estadual estão cobertos por esse projeto de lei.

Com o aumento de preços e no custo de vida, o reajuste positivo do salário mínimo nunca deixará de ser bom para o trabalhador brasileiro. Mas não se pode ficar maravilhado com o novo valor no holerite, já que nem tudo ali representa, de fato, um ganho.